Review: E3 2014

Sei que estou atrasado com esse post, mas realmente passei bastante tempo pensando como ia ser o formato dessa notícia. Entretanto,  no final de quase um mês pensando como seria o formato o que eu ia dizer, sobre quais games e citações. Em todo caso, não encontrei uma resposta, então vou fazer como nos anos anteriores e apenas escrever de forma direta minhas impressões sobre esse evento no qual eu acompanhei via Streamming, novamente não tive o prazer de estar lá, mas ouvi o suficiente de outros meios para chegar há algumas conclusões.

Microsoft:

No evento a Microsoft teve 62 jogos anunciados para suas plataformas, sendo 16 deles exclusivos para PC, Xbox One ou/e Xbox 360. Dos títulos exclusivos que chamaram mais atenção temos:

– Sunset Overdrive
Ele é um jogo de beat&up onde o mundo está sendo convertido em “zumbis” por um energetico. Aparentemente, não há sistemas de classes ou habilidades exclusivas para personagens e as armas parecem ser acessiveis sempre que encontradas. Muito semelhante ao esquema de Dead Rising só que com mais personalizações de aparencia.

– Halo 5: Guardians e Halo: The Master Chief Collection
Essa é uma novidade na qual é esperada faz um bom tempo, pelo menos o “Halo 5”, entratanto para pessoas quem nem eu que queriam jogas os outros Halos o Master Collection pode ser uma boa ideia.
Não tenho muito o que dizer sobre esse jogo, até porque não foram ditas muitas coisas, mas não acho que vamos jogar com Master Chief dessa vez.

– Fable Legends
Eu realmente fiquei muito animado com esse jogo na aparesentação, mas por algum motivo agora que escrevo sobre ele não parece tão mágico. De qualquer forma, é mais um título de peso para engrossar as fileiras do Xbox.

– Outros jogos
Como não tenho muito o que comentar dos jogos, até porque esses são secundários. Outros jogos interessantes são “Project Spark”, “Phantom  Dust” e “Killer Instinct Season 2”. Não me fariam comprar o console, mas se você tiver não custa dar uma olhada neles.

– Problemas da Microsoft
Esse é um fato que não tem muito haver comigo, mas várias pessoas que foram fazer cobertura reclamaram que a organização da microsoft estava meio perdida, e isso prejudicou a experiência de vários deles.
É uma pena, mas as vezes acontece, não podemos esquecer que a Microsoft passou por uma derrota muito forte na E3 de 2013 que mudou quase todo o quadro de diretoria deles. Isso pode ter auxiliado nessa falta de organização, veremos em 2015 como fica.

– Evolução da Microsoft
Esse ano, eles pararam de falar somente de TV e aplicativos, e entenderam que os seus clientes compram um console para jogar, não para ver TV. Fora que mostraram vários jogos que vão engrossar as filas do Xbox One, agora só o futuro dirá se será o suficiente para alcançar a Sony.
Fora isso houve uma coisa muito boa que já tinha sido apresentada pela Sony que é o fato do apoio aos jogos Indie.

Sony

Ela saiu da edição de 2013 como a grande vencedora, não por ter um console melhor ou jogos melhores. Apenas por trollar a microsoft continuamente com respostas rápidas as colocações da mesma. Nesse ano, eles vieram com a mesmo formato de todos os anos.
Sony veio com um repertorio de 73 jogos, sendo 23 deles exclusivo para suas plataformas, lembrando que estamos contando aqui PS3, PS4 e Vita.

– Disgaea 4 (PS Vita)
Não entendi o porque ele jogo vai sair apenas para PS Vita, mas mesmo assim estou feliz em saber que esse JRPG chamado Disgaea continua vivo após anos do lançamento do último jogo. Espero que a história faça um pouco mais de sentido agora.

– The Order: 1886 (PS4)
Caso eu tivesse que nomear as meninas dos olhos da Sony hoje em dia, seria claramente esse jogo. Ele é um adventure/shooter que se passa em um mundo steam punk, com o train hype ligado a todo vapor e com as esperanças de vários players de ser um jogo que represente finalmente o inicio de uma nova geração. A história? Bom, você é um dos integrantes de um grupo chamado “The Order” que tem missão de proteger Londres.

– Persona 5 (PS3)
Esse é um dos meus próprios “Hype Train”, eu realmente adoro essa série. Não teve uma apresentação formal dele na apresentação, mas para as pessoas que estão acostumadas com a série, finalmente teremos uma continuação nessa incrível saga que é recheada de esteriótipos e problemas das pessoas no dia-a-dia.

– Outros Títulos
Outros títulos bons, é “Uncharted 4”, “Xblaze Code Embryo” e “Little Big Planet 3”. Foco em LBP3 que é um ótimo jogo para todas as idades. De qualquer forma, vamos ver como vai ficar os jogos.

– Comentários
Não tenho muitas coisas para comentar sobre a apresentação dela, foi o esperado pelo pessoal.

Nintendo

Não apareceu na E3 do ano passado, e por algum motivo mágico resolveu vir nessa. Na guerra dos consoles anda meio apagada e por muitos é considerado um console extra que as pessoas devem ter. É um sistema recheado de exclusivos, e com poucos jogos multiplataform para ele.
Com 32 títulos, com 26 jogos exclusivos, considerando as plataformas Wii, Wii U, DS e 3DS.

– Yoshi’s Wooly World (Wii U)
Esse é de longe, ao meu ver, o melhor jogo apresentado pela Nintendo. É fofinho, é cooperativo, não acaba com amizades e é o Yoshi. Como esse jogo é bonito, só espero que ele não  seja curto, porque senão vou ficar descepcionado com ele, mas eu queria um Yoshi de Trico.

– Pokemon Alpha & Omega (3DS e DS)
Não tem surpresas ou negociações sobre esse pokemon, vai vender DS e 3DS aos montes, criar novos modos competitivos e fazer eu refazer todos os meus times, mas não se esqueça ainda é um X&Y um pouco melhorado.

– Splatoon (Wii U)
Esse jogo com um conceito de mini-games para as pessoas jogarem, mas não me parece ser um jogo que merece custar 60 dólares ou algo do tipo. O conceito é legal, mas só saberemos se ele será um jogo bom quando a versão final sair.

– Outro jogos
A nintendo é uma empresa que tenho muito o que falar sobre vários jogos, porque são títulos conhecidos, mas não vou me prolongar. Vai sair um Xenoblade, mais alguns mários, um Harvest Mook e 2 jogos da série Zelda.
Minha opinião sobre o Hyrule Wariors, é um Spin-Off para dar tempo para lançar o outro Zelda, usando a engine do Dynasty Warriors. Não é um bom jogo, sério não é mesmo, pode ser divertido, mas não adiciona nada ao universo.

– Pontos positivos
Aparecer no evento, já foi uma grande recuperação do ano passado. E criar as TreeHouse foi uma idéia ótima, pois deixou as pessoas verem os desenvolvedores e designers falarem mais sobre o seu jogos, o que ajuda o player há escolher e conhecer melhor os jogos.

– Pontos Negativos
Falta de títulos realmente novos, e algo que motive há pessoas escolherem o console deles no lugar do PS4 ou do XOne. As TreeHouse foram uma boa ideia, mas foram muito mau utilizadas, eles deveriam dar maior foco nos jogos que são carros chefes do console como Pokemon, Super Smash Bros e Zelda (não Hyrule Warriors).

Resto do Evento e Conclusões:

Vencedor do Evento: Ubisoft

Explicação:
Ela lançar titudos para todos os consoles, com título novos como Valiant Hearts (Já lançou), Shape Up, The Crew e Rainbow Six. De qualquer forma, ela foi a melhor apresentação do evento e a mais sincera. Por isso, falo que ela é a vencedora.

Tivemos várias outras coisas que permitem dizer que foi uma boa E3, mas de qualquer forma, não foi animador, principalmente sabendo que a maioria dos jogos vão apenas lançar em 2015. Esse é meu resumo sobre a E3 de 2014, espero que tenham gostado.

Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published.