Ufotable e seu fundador são suspeitos de desvio fiscal.

O jornal Mainichi Shimbun informou na quarta-feira que o Ministério Público de Tóquio acusou o estúdio de anime e o fundador, diretor representativo e o presidente Hikaru Kondo de violar a Lei de Imposto sobre o Consumo, tanto na pessoa física quando nas empresas, ao não pagar 139 milhões de ienes (cerca de US$ 1,28 milhão) em impostos.

O Mainichi Shimbun citou uma fonte próxima à investigação para relatar que Kondo supostamente escondeu cerca de 30% dos lucros de alguns dos restaurantes temáticos de anime de Ufotable em Tóquio e os armazenava em um cofre privado em sua casa. A receita reduzida foi então supostamente alterada nos livros contábeis da empresa para os anos de 2015, 2017 e 2018, escondendo um total de 446 milhões de ienes (cerca de US$ 4,11 milhões). O valor total devido em impostos é supostamente de 110 milhões de ienes (US$ 1,01 milhão) em impostos corporativos e 29 milhões de ienes (cerca de US$ 267.000) em impostos sobre o consumo. De acordo com a fonte do jornal, ufotable e Kondo supostamente usaram o dinheiro dos impostos não pagos para financiar os negócios da empresa. Lembrando que houve a questão da empresa ter quase falido na época do Fate Unlimeted Blade Works.

Um advogado que representa Kondo pediu desculpas aos fãs e às pessoas envolvidas em seu nome, e afirmou que Kondo já apresentou uma declaração de imposto corrigida e pagou o valor apropriado. A revista Semanal Bunshun Digital, de Bungeishunju, informou em abril de 2019 que o ufotable supostamente deve 400 milhões de ienes (cerca de US$ 3,57 milhões) em impostos, citando uma fonte do Departamento Regional de Tributação de Tóquio. O relatório observou que a ufotable é suspeita de supostamente apropriar-se indevidamente de fundos arrecadados de um leilão de caridade para o terremoto de Tōhoku de 2011, uma violação do Código Penal que carrega uma pena de prisão potencial de não mais do que 10 anos. O Departamento Regional de Tributação de Tóquio realizou uma busca nos escritórios da Ufotable no início de março daquele ano como parte de uma investigação, mas não acabou apresentando acusações.

Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published.