Review – XCOM2

XCOM 2 é um Turn-based tatics, criado pela Firaxis Games, e publicado pela 2K Games. Sendo a continuação direta do jogo de mesmo nome XCOM.
XCOM é um dos jogos de estratégia por turno com temática alienígena mais conhecido atualmente. Ele teve grande sucesso em sua primeira versão pela dificuldade na qual a sua mecânica oferecia ao jogador, mesmo nas dificuldades mais baixas.
Nossa equipe deu a nota de 9.5, para o jogo.

“Esse artigo pode conter alguns spoiler sobre mecânicas e detalhes de XCOM2, caso não queria esse tipo de spoiler, por favor, não prossiga.”

XCOM2 segue diretamente a história alguns anos depois do final de XCOM, onde os humanos conseguem sobreviver ao ataque dos aliens. Agora os aliens chegam com uma nova estratégia se comparado com a sua tentativa anterior. No lugar de ter unidades mais próximos de suas próprias caracteristicas, ou versões humanóides a partir de humanos controlados.

Nesse jogo, os Aliens começam a se integrar com os humanos, criando soldados altamente treinados e equipados, e com animais locais, criando humanóides com caracteristicas únicas, criando um cenários bem mais complexo de se lidar do que o anterior.

Não somente isso, agora os Aliens estão longe de sua filosofia de destruição em primeiro lugar, eles criam bases e fábricas para fortalecer suas linhas de batalha, para depois destruir e escravizar.

Entretanto, não é apenas a frente dos Aliens que mudou consideravelmente. Os humanos também aprenderam sobre as experiências do ultimo jogo, e o que era um grupo mercenário, se tornou um grupo supra-nacional.
Os equipamentos regrediram para níveis humanos novamente (mas não tem o que fazer sobre isso neh?). Entretanto, o esquema de múltiplas naves para enviar seus soldados foi substituída por uma única grande nave que é a HQ central.
O fato de agora o jogo rodar em “tempo-real” foi uma das grandes novidades e reclamações do publico, pois ao mesmo tempo que trás realismo para o jogo, é um problema, pois atrapalha parte do fluxo do jogo. Junto com a saída das bases fixas, os bônus por País sumiram juntamente, o que tornou em parte o jogo menos estratégico.

XCOM2 ao meu ver se tornou um jogo, menos difícil, mas ao mesmo tempo travado em algumas partes. Muitas vezes, o jogador se vê sem recursos, não por que gerenciou mau eles, e sim, porque não perdeu tempo indo recolher recursos do outro lado do mundo.

Não ocorreram muitas mudanças em questão de gráficos e soundtrack. Entretanto, houve o aumento do número de personalizações do seus soldados, junto com um sistema de unlock por patente do personagem. Ou seja, quer aquela roupa com uma caveira nas costas, vire sargento primeiro.

Para quem leu esse pequeno review, a nota e os comentários não parecem ser muito compatíveis, mas o jogo mesmo com essas pequenas modificações que melhoraram e pioraram o jogo, XCOM2 ainda é um ótimo jogo, melhor que seu antecessor? Não na minha mente, mas ainda é um bom jogo.

Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published.