Review: Tomb Raider

O review de hoje é sobre o novo jogo da Square Enix, Tomb Raider. Não vou entrar em muitos detalhes inicialmente, pois estou implementando um novo sistema de review baseado em algumas perguntas que fiz para o pessoal. Agora vamos ao review do jogo.

Nome Tomb Raider
Desenvolvedora Crystal Dynamics

Publicadora(s) Square Enix
Diretor Cory Barlog
Noah Hughes (Creative Director)
Projetista Darrell Gallagher
Escritor(es) Rhianna Pratchett
Compositor(es) Jason Graves
Motor Modified Crystal Engine (Engine da Square)
Plataforma(s) PlayStation 3
Xbox 360
Microsoft Windows
Data(s) de lançamento 5 de março de 2013
Gênero(s) Ação-aventura, sobrevivência e plataformas
Série Tomb Raider
Modos de jogo Single player, multiplayer
Classificação 18+
Mídia Disco óptico
Requisitos mínimos

Gráficos: (7.5/10)
     Os gráficos do jogo são bons, por mais que haja alguns problemas na renderização da água em computadores de menor potência deixando ela com um efeito meio falso. No geral os gráficos estão muito bons, isso se deve a utilização de uma das várias versões da Crystal Engine. Os personagens são bem realistas na questão de expressão e movimentos, infelizmente a questão da qualidade da pele e das roupas ficou abaixo do esperado, pois roupas por mais que interagem com cenário considerando água, terra e fogo, normalmente, elas são fixas no corpo como se estivessem grudadas no mesmo.
Outro detalhe importante sobre os gráficos é a gestão da forma que foram dispostas as interfaces de interação com o usuário e as falas dos personagens. O jogo teve um pequeno problema que quando os personagens falam e  as legendas estão ativas, o texto da fala está normalmente localizada no mesmo local que as instruções, complicando a vida de jogadores iniciantes.

Jogabilidade: (6.0/10)
     A jogabilidade está boa no geral, o jogo é bem intuitivo para as pessoas que normalmente jogam em computador, na questão de comandos básicos de ação, interação com o cenário e movimentação. Entretanto, o jogo possuí um sério problema se considerar que é um jogo para computador. Os comandos são muito escassos, tornando-se uma jogabilidade simples, mas ao mesmo tempo ela limita a capacidade do jogador de interagir com o cenário. Por exemplo, a Lara não possui o comando de agachar, ou seja, em partes que ela tem que fazer isso, ela acaba por realizar isso automaticamente sem a necessidade do player realizar esse comando, isso não é uma coisa ruim, mas quando você quer atirar uma flecha ou alguma arma, você acaba por sentir falta desse comando. Isso também ocorre com alguns outros comandos tipo correr e etc.
Os inimigos são um tanto quanto burros, não vou comentar sobre isso. O que mais me incomodou na jogabilidade é a questão que existem muitas ações que se baseiam em apertar o botão freneticamente ou/e em sequencia, o que torna o tempo de vida de um controle bem baixa, pois há partes que o comando “Mash Button” começa a fazer bastante sentido.

História: (6.5/10)
O jogo conta do inicio da história de Lara Croft uma das maiores arqueólogas do mundo, nessa época ela não sabe lutar, não sabe atirar direito, e tem sérios problemas de confiança em si própria. Até ai tudo bem é o inicio, mas sério, essa história de cair em uma ilha após um acidente já está meio batida. Tivemos vários jogos com essa temática, passando de inimigos zombies (Dead Island) a traficantes de drogas (Far Cry 3). Não posso comentar muito sobre o enredo em geral, mas pelo pouco que eu joguei. Entretanto, devo dizer que não espero uma história muito diferente das que eu já vi em outros jogos de Adventure, mas, posso dizer, que no geral que achei positiva essa volta para saber como tudo começou, afinal ela nunca começou entrando em templos misticos e saqueando tumbas logo de cara.

Efeitos Sonoros e Música: (8.0/10)
Essa provavelmente é a única parte que eu me impressionei, os efeitos de som estão muito bem feitos, e organizados de forma a dar uma profundidade no jogo. Ou seja, você está numa floresta você vai ouvir som de pássaros e folhas se movendo, isso vai deixar seus inimigos usarem isso ao favor deles, mas caso vou queira aproveitar um pouco da brisa do mar, pare em um penhasco e aproveite o som do mar batendo na costa da ilha.

Conclusão:(7.0/10)
Conclusão sobre o jogo, ele é um bom jogo, não pode se esperar muito dele em questão de história ou uma revolução na jogabilidade, mas caso você queira perder algumas horas jogando algo baseado em um clássico do PS1 e outros consoles antigos é uma boa. Talvez você perca algumas horas resolvendo bug e outras coisas, mas duvido que ele te prenda por muito tempo além da história principal do jogo.

Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published.