Review – The Witcher 3: The Wild Hunt

The Witcher III: The Wild Hunt é o final da trilogia de Geralt of Rivia, o personagem que lhe acompanhou por toda saga até agora. O jogo foi lançado no inicio de 2015, para PS4, Xbox ONE e Windows.

Nesse jogo vemos o final da história sobre Geralt e a “nova” personagem Ciri. Ciri é uma jovem que Geralt considera como uma filha, mesmo ele sendo estéreo, o que impossibilita ele de ter filhos.

Ciri foi criada com Geralt desde pequena, e ela é descendente de uma antiga linhagem chamada Old Blood, os descendentes dessa linhagem tem o poder de controlar o tempo e o espaço, por essa razão Ciri é chamada de “Lady of Space and Time”, pois ela pode viajar livremente pelo tempo e espaço com um piscar dos olhos.

O jogo mostra o que ocorre no mundo de Geralt após os acontecimentos do “The Witcher 2: Assassins of Kings”, onde uma nova guerra começa a ser travada pelos reis do norte pela unificação do mesmo. Um dos reis é o pai de Ciri, Emhyr var Emreis emperador de Nilfgaard, com seus black guards.

Em questão de história, esse jogo é completo caos histórico, dentro do mesmo período está ocorrendo tantas coisas que fica difícil para o player entender tudo de uma única vez, uma hora você pode estar matando orcs numa vila, e no momento seguinte você está procurando uma forma de eliminar uma maldição. A história desse jogo é tão rica, e variada que sem um bom tempo de gameplay, você não tem nem condição de capturar tudo em menos de 300 horas de jogo e alguma lida na wikia do jogo.

Mudando de assunto, pois falar de história eu poderia fazer artigos e artigos e ainda não ia cobrir tudo o que é necessário. Os gráficos do jogo são muito bonitos, é muito difícil pensar que esse jogo “apenas” custou 15 milhões de dólares para ser produzido, se comparado com jogos que tiveram essa mesma receita. O sistema de tempo é muito lindo, e facilmente você ve as alterações na rotina das cidades e dos lugares com o passar do tempo.

A soundtrack e a dublagem também tem uma qualidade ótima em inglês, e em português apenas as vozes dos personagens ficaram boas, a dos demais personagens ficaram um pouco estranhas.

A jogabilidade é melhor do que dos jogos anteriores, entretanto para algumas tarefas, por exemplo, nadar não é uma das melhores coisas na qual você vai encontrar no jogo, e tem muitos itens submersos para pegar.

Posso afirmar que The witcher 3 é um ótimo jogo para quem gosta de Action-RPG, ele provavelmente vai te fornecer pelo menos umas 200~300 horas de jogos. O que é bom, então aproveite esse ótimo jogo.

Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published.