Review – Batman: Arkham Knight

Batman: Arkham Knight é o terceiro e ultimo jogo da série Arkham (desconsiderando o origins, ele não faz parte da série original), esse jogo voltou a ser produzido pela RockSteady, e publicado pela Warner Bros. Lançado em Junho de 2015 para PC, Xbox One e Playstation 4; Esse jogo é um action-adventure game, baseado no universo de Batman, HQ criado pela DC Comics, mostrando uma das várias realidades alternativas que existe no universo criado pela DC.

Minha nota para esse jogo é: 8.5/10

Esse artigo vai conter comentários que podem, ou não, conter partes da história ou reviravoltas que podem remover parte do mistério e graça do jogo, caso não tenha jogado e se importe com isso, por favor não prossiga na leitura desse artigo.

imagem2

Batman: Arkham Knight é um jogo que teve muito hype gerado pela comunidade graças ao “fracasso” que o seu antecessor (Origins) foi para a comunidade que foi fidelizada pelos jogos Arkham Asylum e Arkham City. De forma geral, ignorando as ocorrências na versão de PC, o jogo foi bem idealizado e executado, cumprindo boa parte do que os seguidores da série queriam.imagem3

História
Essa é a parte que de longe do jogo que não foi o que eu esperava. O jogo tinha várias peças muito interessantes para serem trabalhadas devido aos jogos anteriores, Joker está morto, um Robin morto, vários vilões soltos novamente em Gotham City, policiais e políticos corruptos, e muito mais que somente Gotham poderia oferecer a um super herói. A apresentação era que um novo inimigo chamado Arkham Knight apareceu para combater Batman e seu modo de justiça. Nesse momento você pensa, olha só que legal, vou ter um “novo” vilão para lutar contra, o que vai me dar uma cara nova ao jogo, e deixar como side-missions os outros vilões da série batman, legal … legal, mas não é isso necessariamente que me entregaram, realmente Arkham Knight é um “vilão” novo com dezenas de habilidades e equipamentos que os outros vilões não tinham em seu arsenal, mas ele não era o real vilão da história, esse papel foi deixado para Scarecrow, um vilão que ao meu ver é um tanto secundário, ele tem planos e habilidades muito interessantes, mas não é o vilão que o Batman merece para uma batalha final onde ele está fisicamente e mentalmente desgastado.imagem1Ao longo do jogo, você nota que o Arkham Knight tentou usar o Scarecrow para obter vitória contra Batman, mas seu ego e a segurança que o plano proposto por Scarecrow ia dar certo fez com que ele negligenciasse várias coisas que sem ele, não teria ocorrido. Principalmente quando você é o general de um exercito mercenário altamente treinado e equipado, com um número facilmente superior a 10 mil homens, e com as ultimas tecnologias para garantir que não haverá baixas humanas. Incluindo médicos que conseguem acordar e resgatar seus soldados que foram derrotados, qualquer um deles. O desenvolver da história, eu tive realmente a impressão que o Arkham Knight não estava com vontade de ganhar de Batman, ou ele consegue cometer mais erros que o próprio Batman, olha que nesse jogo ele comete vários erros.
E para no final do jogo, Batman basicamente se entregar para Scarecrow como se fosse nada, deixando sua identidade ser revelada, sem o menor problema ou esforço para resistir. O que me decepcionou de forma considerável, eu esperava um final tão bom quanto o do Arkham City, mas acredito que isso era esperar demais desse jogo. A história é fraca ao meu ver, mas foi relativamente bem trabalhada dentro do possível.

Jogabilidade

Essa é uma parte que está fiel aos jogos anteriores, tirando um aperfeiçoamento considerável em alguns pontos de combate e no carro. O personagem não está tão “duro” quanto nos jogos anteriores, e o combate junto com os personagens auxiliares, catwoman e nighthawk, deixam o jogo bem mais agradável e fluido que os anteriores. Tirando que o batmovel tornou-se o modo de transporte mais fácil para Batman, com as ruas vazias de civis, ele pode dirigir de forma descontrolada e imprudente livremente sem problemas. O problema maior é que até certo ponto, o jogador se torna altamente dependente do carro, para lutar contra os tanks, sem o batmovel, batman é apenas um alvo fácil para os misseis de Arkham Knight.

Gráficos & Soundtrack

O jogo de forma geral está muito bem feito, mas como dito por alguns youtubers e streamers, há várias coisas faltando na configuração básica da parte gráfica do jogo. Como, por exemplo, controles de Anti-alise (decentes), mais controles de textura, controles de FPS e outras coisas mais. O ponto mais complexo é a questão dos FPS, o jogo claramente foi feito para rodar há 30FPS por segundo, o que em consoles é altamente aceitável, mas para a versão de PC é inaceitável. Esse problema podia ser resolvido alterando algumas configurações de texto do jogo, mas várias pessoas relataram que fazendo isso causava crashs e bugs no jogo. Um youtuber em sua avaliação disse que não tinha tido esses problema, entretanto ele mesmo disse que era ridículo precisar de 2x TitanX em SLI para o jogo sofrer para manter os 60FPS.

Soundtrack é muito boa, mas não é tão épica quanto a do primeiro jogo, mas segue a tendencia de um jogo mais dark e depressivo que os anteriores, refletindo o estado mental que Batman se encontra.

imagem4

Conclusão

O jogo de forma geral é um bom jogo que vai garantir algo entorno de 40 horas se você não tentar fazer todos os riddle, isso vai tomar bem mais tempo, a história é aceitável e o gameplay cria uma série de variações para a configuração do personagem. Caso você não ligue para FPS, ele se torna um jogo muito bonito e que roda relativamente tranquilo.

Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published.