Resumo/Review – Legends of Runeterra

Por Lucas Bruno G. A. Gonçalves

Legends of Runeterra (LoR) é o novo card game desenvolvido pela Riot Games, famosa pela criação do MOBA League of Legends, se trata de uma expansão do universo trazida aos jogadores numa forma mais simples e dinâmica, tanto para jogadores de PC quanto para os Mobile. Por hora ainda está no estágio de Open Beta, mas em breve será lançado oficialmente em 2020 e contará com o lançamento da versão Mobile.

Estando logado no League of Legends, é possível acessar Legends of Runeterra sem ter que fazer o processo de login e vise-versa, ambos compartilham a lista de contatos e informam quando alguém está jogando um dos dois jogos.

Jogando pela primeira vez, me deparei com uma série de tutoriais que não exigem muito do jogador, a mecânica em si é bem semelhante a outros jogos do gênero que já temos no mercado. Porém, a Riot conseguiu mudar as regras e criar algo bem único.

MÊCANICA / GAMEPLAY

Ambos os jogadores têm 20 pontos de vida em seus respectivos Nexus. O objetivo é trazer seguidores e campeões ao campo de combate, usar mágicas e eliminar os pontos de vida do oponente primeiro.

No primeiro turno ambos têm a chance de executar o “Mulligan”, o ato de escolher as cartas que quer devolver para o baralho e sacar novas cartas em seu lugar para tentar evitar um começo ruim.

A cada turno ambos os jogadores ganham e recarregam “mana”, a energia usada para pagar pelo uso das cartas na mão, até o máximo de 10 e 3 cargas extras para uso exclusivo de mágicas. Ambos também devem comprar uma carta de seus baralhos, mas apenas um terá a moeda de combate, que permite iniciar um a qualquer momento contra o oponente naquele turno, escolhendo as unidades que irão participar.

Os dois vão trocando momentos de ação durante o mesmo turno, como pagar para trazer um seguidor ao campo de batalha, usar uma mágica lenta ou preparar o ataque caso tenha o combate no turno.

            O oponente do atacante pode escolher como vai bloquear o ataque, quem contra quem, as personagens têm custo (esfera em azul acima na esquerda), ataque (em laranja abaixo na esquerda) e saúde (em vermelho abaixo na direita). O ataque é subtraído da vida do oponente, se chegar 0 ou menos, a personagem é abatida e destruída.

            Seguidores contam com várias habilidades para sobreviver, se fortalecer e fazem diversas coisas ao longo das batalhas. Principalmente os campeões que tem sua devida importância, não podendo se ter mais do que uma cópia de cada em seu campo de batalha (exceto usando de alguns combos mais avançados para ignorar as regras do jogo), tendo um campeão em campo, qualquer outra cópia sacada ou em mão se torna uma mágica baseada no mesmo com o efeito extra de devolver uma cópia do campeão ao deck.

            Algumas habilidades podem ser passadas por mágicas ou outras habilidades, podendo deixar momentaneamente uma carta mais poderosa. As passivas comuns que temos até então são bem clássicas, mas bem efetivas.  Abaixo temos uma lista resumida de diversos termos usados nas cartas:

Regeneração: No final do turno a unidade recupera toda a sua saúde.

Desafiante: Pode ao atacar escolher quem vai bloqueá-lo.

Ilusório / Elusivo: Não podem ser bloqueados, a menos por personagens com a mesma habilidade ou que os desafie.

Resistente: A personagem sofre -1 de dano em combate.

Assustador / Amedrontar: A personagem não pode ser bloqueada por personagens com 2 ou menos ataque.

Esmagar/Atropelar: Dano extra vai direto no Nexus.

Fugaz: Normalmente é uma mágica criada por alguma outra carta, que deve ser usada no mesmo turno que ela foi criada, ou então ela será destruída na mão.

Efêmero: É destruída no final do turno. Normalmente são cartas muito fortes com custo baixo ou seguidores criados por efeitos.

Último Suspiro: Ao morrer, a carta faz alguma coisa.

Ataque Rápido: Ataca primeiro se for um atacante. Logo, se o ataque for o suficiente para eliminar o oponente, não recebera dano.

Ataque Duplo: Ataca duas vezes…(Só Senna e Lucian tem isso no momento, ainda bem)

Barreira: Não recebe dano uma vez. O efeito some no final do turno.

Jogar: Ao ser jogada no campo de batalha algo ocorre.

Atacar: Ao atacar algo ocorre.

Suporte: Ao atacar, a carta ao lado direito recebe algum efeito da carta dando suporte.

Recall / Retornar: Retorna à mão do dono.

Iluminado/a: A carta aplica algum efeito quando sua mana esta no máximo (10). No momento é o efeito usado para evoluir tanto Anivia quanto Karma.

Roubo de Vida: O nome já diz tudo, qualquer dano que a unidade aplique, retorna como vida, mas não para si, para seu dono.

Não Pode Bloquear: Já diz tudo.

Congelar: É um estado temporário que deixa a carta congelada com 0 de ataque.

Atordoar: A unidade atordoada não pode bloquear ou atacar durante o turno que estiver sobre esse efeito.

            Ainda temos algumas cortas com efeitos masoquistas, que ao se machucarem, fazem algo a respeito, em geral causam danos direto ou ficam mais fortes.

            Mágicas são divididas entre Lentas, Rápidas e Explosivas. Lentas são demoradas e não podem ser encaixadas durante combate ou em correntes. Rápidas podem ser usadas em correntes e não consomem a ação do turno, mas permitem o oponente reagir com mágicas. Explosivas são rápidas demais e não podem ser ignoradas.

            Os baralhos tem exatamente 40 cartas, podendo ter até 3 cópias por carta no máximo e no máximo 6 cartas de campeões.

            Campeões além de serem relativamente mais fortes e talvez até mesmo importantes nos decks, tem também a habilidade de aumentar de nível durante a partida. Essas cartas estabelecem alguma missão para evoluir, ao evoluir ficam mais fortes e por vezes mudam drasticamente seus efeitos. Uma vez evoluídos, outras cópias no deck e mão não precisam ser evoluídos novamente.

            Todas as cartas são divididas em regiões do mundo de Runeterra, por hora temos:

Demacia Deck Builds LoR

Demacia: Foco em buffs no campo de batalha, desafio, proteção e cura. Tema de magos e cavaleiros.

Freljord Deck Builds LoR

Freljord: Foco em buffs fora do campo de batalha, no baralho, congelamento, masoquismo, poros, yetis.

Ionia Deck Builds LoR

Ionia: Foco em buffs na mão e mágicas que mudam o rumo das batalhas, cartas ilúsivas, cartas com temas místicos e orientais.

Noxus Deck Builds LoR

Noxus: Foco em ignorância pura, destruição e dano, masoquismo, esmagar e outros.

Piltover & Zaun Deck Builds LoR

Piltover & Zaun: Foco em descarte com benefícios, como pagar barato para trazer uma carta pesada ou ao descartar uma carta usar ela ao invés disso. Mágicas de dano direcionado, criação e multiplicação de cartas, cartas ilusívas.

Shadow Isles Deck Builds LoR

Ilhas das Sombras: Foco em cartas efémeras, com efeito pós-morte, combinação de efeitos destrutivo e sobrecarga no campo.

PROGRESSÃO

            Começamos com cartas básicas e alguns campeões, mas não é um problema, já podemos montar decks realmente fortes se estudarmos com calma o que cada carta é capaz de fazer. Não existem níveis de jogadores, apenas atributos básicos como Moedas (dinheiro real), Essências Verdes (usadas na criação da carta que desejar ou como tributo para acessar o modo Exploração) e os coringas (usados para obter a carta que quiser de determinada raridade) que você obtém por jogar.

            Em “Recompensas” temos uma lista de regiões do mundo de Runeterra, lá existem níveis de recompensa, escolhemos da lista a região da qual queremos receber cartas e vamos progredindo no nosso próprio ritmo, podendo alterar entre regiões como quisermos.

            Todo dia também recebemos missões, podendo ter até 3 guardadas, cada uma dando um boost de exp muito bom. Temos dados também para rolar as missões e tentar pegar algo melhor para se fazer.

            Jogar contra a I.A. é bom para ver como seu deck está se comportando e se é capaz de enfrentar um oponente de nível médio. Os baralhos artificiais têm foco em apenas um campeão e possuem 3 cópias do mesmo, além de contarem com várias cartas mágicas e unidades geralmente leves e de fácil acesso, o que deixa o campo deles normalmente cheio, porém com cartas bem fracas. Isso pode ser tão bom quanto ruim dependedo do estado do seu baralho e do que você sacar, pois cada unidade de combate só pode lutar contra uma unidade por vez. Como de se esperar, a exp obtida por combates contra a I.A. não vai ser grande coisa comparando com uma pessoa real no modo normal ou no ranqueado. Mesmo perdendo você ganha algo (1/2 da vitória), então apenas jogue e se estiver chato/impossível superar a situação da partida, apenas desista que você sai ganhando da mesma forma.

            O jogo conta com um sistema de exp que vai aos poucos diminuindo a quantidade ganha caso você jogue muito, para evitar que peguemos tudo em apenas um dia ou que fiquemos viciados. Mas logo reseta no dia seguinte. 20 vitórias contra a I.A. já reduz a exp para 0, 10 derrotas também. Enquanto contra jogadores vai até 30 vitórias e 10 derrotas.

            Por semana, toda terça-feira, podemos abrir recompensas extras pelos nossos esforços. Podendo receber no momento até 3 baús de nível diamante (nv13 de recompensa ou 25000+ exp coletada durante a semana). Quanto melhor o baú, mais cartas e recompensas virão e pra isso você só precisa JOGAR, jogando diáriamente partidas contra jogadores se ganha exp extra o que ajuda e muito a chegar nos valores necessários para a recompensa máxima. Esses baús vem juntamente com um vale Expedição.

            O modo Expedição exige tributos para ser acessado, ele oferece ainda mais recompensas pelo seu desempenho e é aquele clássico modo em que começamos sem nada e vamos escolhendo partes do deck para montar algo mais leve que o normal e temos que nos virar com cartas aleatórias até o final. Em Runeterra eles oferecem 1 derrota de segurança por estágio, onde você pode voltar ao jogo sem perder tudo de uma vez por mero fator sorte, em cada estágio existem adições extras e momentos de troca de cartas para tentar customizar o deck, são ao todo 7 estágios e no final não temos a derrota de segurança. Após a primeira expedição, temos acesso a uma segunda, o resultado das duas vai decidir o prêmio final. E no meio disso tudo, já coletamos uma boa exp pelas partidas jogadas.

LOJINHA

            O comércio atual do jogo conta com opções apenas em dinheiro real, R$ 15,00* por 500 moedas. Como sempre oferecem outras opções maiores com bônus em moedas para valer a pena gastar mais.

*Arredondei pra simplificar os preços.

            Por 359/Ap. R$ 11,00. Estão oferecendo um pacote com 66 cartas (11 de cada região). Não sendo um preço muito ruim pela quantidade de cartas que vem para aqueles que não tem muito tempo para jogar ou que querem entrar de cabeça logo no jogo.

            Os coringas/vale cartas que podem ser usados para obter uma cópia de determinada raridade estão à venda de tempo em tempo pelos seguintes preços:

Campeão: 300/R$ 9,00.

Épico: 120/R$ 3,60.

Raro: 30/R$ 0,90

Commum: 10/R$ 0,30

            Temos ainda uma pequena seleção de campos de batalha, exclusivos para decorar o seu lado. Por apenas 990/Ap. R$ 30,00. E os guardiões por 590/Ap. R$ 18,00. Que nada mais são que “Pets” que ficam de efeito visualmente durante as partidas no seu lado do campo.

(Preços na época que o artigo foi escrito)

CONSIDERAÇÕES  FINAIS

            Levando os preços em consideração e a dificuldade base de se obter as cartas, devo dizer que por enquanto, o jogo está bem longe de ser um “Pay-to-Win”. Claro que pagando fica mais rápido e fácil de se obter o que quer para determinado baralho, mas só jogando normalmente vamos acabar recebendo vários curingas e essências para ir aos poucos montando os decks. Fora que não é pelo fato do oponente ter 3 cópias de uma mesma carta que ele vai conseguir pegar ela, tem mais chances, sim, mas não é 100% de certeza, as vezes a sorte pode colaborar dando cartas de resposta para as ações dele e com cartas básicas a gente consiga ainda vencer. Tanto que um dos metas atuais não usa campeões.

            Existe um sisteminha interno para selecionar melhor os oponentes como em League of Legends e como de se esperar, não é perfeito, pra ser franco, eu acho impossível fazer um sistema perfeito de nivelamento nesses jogos…Ainda mais quando se trata bastante de sorte com uma pitada de estratégia. Então sobretudo, minha experiência tem sido ótima, alguns combates fáceis, alguns desafiantes e outros em que não pude fazer absolutamente nada por culpa de uma mão inicial ruim ou falta de cartas na hora certa, uma pitada de culpa do design dos meus decks e uma pitada de sorte.

            Isso fica bem mais evidente quando se joga no modo Expedição, as vezes virão combinações maravilhosas e poderemos fazer um deck absurdamente forte, enquanto também poderemos pegar baralhos que não combinam absolutamente nada ou que as trocas são totalmente inúteis. Por exemplo, se livrar das poucas cartas leves que você tem pra pegar algo pesado que você nem sabe se vai estar vivo pra jogar…Ou ainda tem a possiblidade do deck estar maravilhoso, mas as cartas que vem durante as partidas seguintes são simplesmente contestadas pelos oponentes quebrando seu combo e afundando a partida. É totalmente possível, isso ocorreu tanto contra mim quanto pra alguns oponentes.

            Vale constar que teve um esforço considerável da equipe de desenvolvimento da Riot para aprimorar e expandir o universo de Runeterra, cada carta represente alguma personagem importante desse universo, não são tão famosos ou infames quanto as LENDAS em si, os campeões que conhecemos, mas fazem parte de suas vidas. Existem interações entre as personagens durante as partidas, tanto quando são trazidas ao jogo uns contra os outros, como aliados e quando lutam. Podemos assim testemunhar quais são as interações dessas personagens com o universo a sua volta e entender melhor suas personalidades.

            Sobretudo é um excelente jogo de cartas com um grande potêncial, onde a loja tem um maior foco no padrão deles de visual. As partidas são relativamente equilibradas e sobretudo divertidas. Não tendo opções para toxidade direta como em League of Legends, a menos que você queira fazer um deck baseado em Teemo e um bilhão de cogumelos, mas aí são detalhes, hehe…

17/02/2020

Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published.